Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Agenda
 
29
OUTUBRO
  TREMEMBÉ = 4º ENCONTRO DE AUTOS ANTIGOS

 
 
Título: Minha paixão por Dodges é de longa data ...
 
Minha paixão por Dodges é de longa data e tive a sorte de queimar muita gasolina, asfalto e pneus a bordo de alguns deles.

Casei-me em dezembro de 1996 e na época tive que abrir mão de meu Dart 79 “bicudo” para dar início á então nova fase da minha vida. Um pouco contrariado, acabei por concordar com minha esposa que não seria possível sustentar duas famílias e que teria de vender uma delas.

- Tudo bem...mas com uma condição! Assim que nos estabilizarmos eu vou comprar outro Dodge e vou restaurá-lo ao meu gosto.

Ela concordou e assim foi feito.

 


No início do ano 2000 eu já não via a hora de voltar a acelerar um V8 e e ntão comecei a busca. Naquele tempo a oferta de Dodges era bem maior e os preços infinitamente menores que hoje. Sem exagero, procurei entre cerca de 30 carros até encontrar o que queria. O objetivo era claro: um Charger R/T automático.

Um dia, navegando pelo site do Jornal Primeiramão, li o anúncio de um R/T 1978 branco automático.

-É este! – pensei, e então liguei para o anunciante:

-Alô, é sobre o anúncio do Dodge...gostaria de dar uma olhada no carro.

-Puxa vida, rapaz, acabei de vender...

-Sério? Que pena...venho procurando um destes a algum tempo.

-Então...só que eu tenho outro. Bege.

Eu quase não acreditei, tanto tempo procurando aquele modelo e o cara tinha dois!
Fui ver o carro. A pintura estava surrada, havia alguns podres e o estofamento estava rasgado, mas o carro era extremamente liso e tinha todos os detalhes originais. Dei uma volta no quarteirão e me apaixonei...rodava macio, silencioso, uma delícia, e tudo funcionava!
Tentei pechinchar, mas o cara sabia o que tinha nas mãos e não deixou por menos. Aceitei. Era sete de setembro eu voltava pra casa feliz da vida a bordo do meu novo Dodge.

No início de 2001 dei início à saga que seria a restauração do meu menino. Um colega de trabalho, excelente funileiro e pintor, se disponibilizou ao serviço. Só que ele dispunha de poucas horas vagas, e o restauro se arrastou por mais de três anos.

Quando iniciamos a desmontagem surgiram pontos de ferrugem bem maiores que estavam escondidos embaixo do vinil, frisos, etc. Mas tudo foi feito com calma e capricho.

Na hora de definir as cores, optei pelo chamativo laranja boreal com interior preto, já que os originais bege e marrom definitivamente não estão entre minhas cores favoritas.

Gostei muito do resultado final, e o carro tem recebido elogios, o que me deixa bastante orgulhoso.

A parte triste da história e que preciso encontrar um novo dono para ele, pois estou iniciando a construção de uma nova casa...uma nova fase.

Mas pretendo fazer tudo outra vez assim que possível, pois apesar do trabalho é muito gratificante.

Um abraço.

Luiz Antonio B. Silva 
   
 

 
 
Clube de Autos Antigos de Taubaté
contato@antigostaubate.com.br
 

Desenvolvido por Future Tecnologia